sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Paraty- RJ: arte e gastronomia


Chocolate quente no Manuê
Ah, mas o que fazer em Paraty se chover? Minha dica é: arte e gastronomia formam uma boa dupla. Esqueça a chuva! O centro é cheio de ateliers, lojas de roupa fina, artesanato, galerias de arte e lógico, livrarias.



Chuva não é impedimento para flanar

As lojas de souvernirs estão por toda parte com os famosos barquinhos coloridos. A dificuldade é transportá-los na bagagem se você for pegar avião.


Loja Atelier da Terra

Souvenir
Muitas vendem artigos de decoração, cadeiras de balanço e objetos antigos. Conheci uma loja bacana de acessórios, brincos e anéis feito pelos índios, chamada Armazém Paraty. Fantástica!

A gastronomia em Paraty é diversificada. A culinária é caiçara com influência dos índios, portugueses e africanos. Mas a cozinha internacional tomou conta da cidade, lá você encontra restaurantes: tailandês, francês, italiano e outros.

Para um roteiro econômico optamos pelo restaurante Ponta da Praça, na Praça do Chafariz. Iniciamos com uma porção de batata frita por R$ 19, bem servida por sinal e escolhemos um filé de peixe com molho de camarão, custou R$ 39,90 para duas pessoas.
Simples, mas saboroso
Percorrendo o centro descobrimos a Gelateria Pistache, inaugurada em 1996, possui uma variedade de mais de 50 sabores. Muito boa! Mesmo com chuva arrisquei um sorvete de pistache e outro de chocolate com amêndoas. Humm…Duas bolas caprichadas dá em torno de R$8,00.


E o doce de rua? Este sem dúvida é atração principal. Eles ficam em carrinhos espalhados pelas ruas do centro histórico. Não tem como provar todos os sabores, mas os meus olhos brilharam de felicidade quando os vi. Os vendedores são tão gentis que servem como “guias”.

Segue a sessão tortura:
Carrinho da perdição..hihi. Cada doce com sua espátula.

Sabor maracujá

Sabor côco
Tem os doces produzidos artesanalmente como se fossem conservas. Mas a grande recordação de Paraty foi um “lugarzinho” que encontrei perto do hostel onde fiquei hospedada. Foi o Manuê Sucos. Fica na Rua Benina Toledo do Prado. Um ambiente gostoso frequentado por famílias e com um serviço rápido e eficiente . O pedido é feito no balcão e eles não cobram serviço.

Chuva combina com chocolate quente que custou R$6,00.(1ª foto do post). Acompanhado de brownie por R$ 4,50. Uma delícia!
Brownie
E ainda teve espaço para um bolo de café com chocolate por R$4,00.
Bolo com café e chocolate
Eles servem também dobrados que parecem crepes enrolados de diversos sabores apartir de R$9,90. A decoração é atraente e colorida.
Me apaixonei por esta pia
Fui lá duas noites e se ficasse mais dias iria todas. Gostei do atendimento e o é preço justo. Recomendo!
 

Tá faltando alguma coisa? Tá sim. A danada da cachaça. Não podemos falar de Paraty sem citar as famosas cachaças artesanais. Tem até um festival dedicado a elas que ocorre em Agosto. Ela começou a ser produzida na região apartir de 1600. O relevo e a temperatura eram propício para o cultivo da cana de açúcar. Embora não tenha sido pioneira na produção, a cachaça de Paraty valia mais do que todas as outras do país.

Hoje, ela ainda possui ainda mais prestígio com o registro de Indicação Geográfica (IG) o que significa que a cachaça de Paraty se distingui de todas as outras devido a sua qualidade única em função de recursos naturais como solo, vegetação, clima e saber fazer (savoir faire).
 

Fui no Armazém da Cachaça, na R. Maria Jácome de Mello, número 279, e vi uma variedade imensa da bebida. É possível degustar.

Se for comprar, deixe pra fazer isso no final quando já estiver voltando pra hospedagem evitando assim carregar peso durante as caminhadas no Centro.

Outras dicas de restaurante, recomendo o blog Garfos e Quartos com sugestões saborosíssimas.

Gostou do passeio? Dê sua sugestão. Curta, comente e compartilhe!

Um comentário :

  1. Triste é saber que como em grande parte do RJ, em Paraty não existe tratamento para o esgotamento sanitário e tudo vai para o mar.
    :(

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...