terça-feira, 26 de agosto de 2014

Rio de Janeiro: da Lagoa até o Arpoador a pé

Uma das coisas mais gostosas para se fazer no Rio é caminhar aproveitando aquele visual que só esta cidade tem.
E vamos caminhar um pouco? Tenho certeza que vai gostar.


Vista do Morro da Saudade (esquerda) e Morro da Catacumba.


Começamos na Lagoa Rodrigo de Freitas exatamente no heliponto de onde sai os passeios de helicóptero. A lagoa é chamada de “Coração do Rio” justamente por causa do seu formato. 

Coração do Rio

E esse coração é enorme, tem 2,4 milhões de metro quadrado de superfície. Uauuu!!! E com um olhar mais atento veremos que a lagoa possui duas ilhas a Piraquê e Caiçaras.
Inicialmente, seu entorno, foi habitado por índios tamoios, depois virou engenho e depois o Real Horto Botânico, atual Jardim Botânico. O oficial de cavalaria português Rodrigo de Freitas de Carvalho dá seu nome a lagoa. Hoje, é um espaço revitalizado e um grande complexo de lazer e gastronomia.



Pra levar a família


Aqui você encontra ciclistas, skatistas, patinadores, mães e filhos brincando a beça e rolando pela grama, gente nos barzinhos batendo papo e apreciando a vista maravilhosa, casais namorando, enfim um local democrático.


Observação de aves

Continuo a caminhada sentido Ipanema. Olhando um pouco para trás perceba o Cristo láááá em cima no Corcovado.


Olha ele lá!!


Se quiser pedalar pode alugar uma bicicleta por 15 reais/hora e dar uma volta na lagoa o que não leva nem 50 min. Ou pode alugar as bicicletas do bike Rio.
Andando um pouco mais, estamos ao lado do estádio de Remo da Lagoa que fica perto do Clube de Regatas do Flamengo. 

Estádio de remo e canoagem

Aí, foram realizado os Jogos Panamericano de remo e canoagem em 2007.  A piscina para aprender a remar me chamou atenção.

Aprendendo a remar

Depois, avistei o Clube dos Caiçaras. Um clube voltado para atividades sociais e esportivas com origens nos anos de 1929.


Balsa estilosa no Clube Caiçaras


Um pit stop para uma água de côco. Meu objetivo era chegar no Arpoador para assistir o pôr do sol. Perguntei ao vendedor como chegar em Ipanema e ele disse que era só seguir em frente e já estaria bem perto da praia e assim fiz. Caminhei pela arborizada Rua Garcia D´Avila seguindo o fluxo até chegar na :


Praia de Ipanema- ao fundo Ilhas Cagarras

E aí é só respirar fundo sentir a brisa e seguir até o Arpoador.

Morro do Vidigal e Morro Dois Irmãos

Vista privilegiada que esses moradores do Vidigal tem viu!
Pelo caminho você vai observando a galera tomando um banho de sol ...







A galera pegando uma onda...






Levando o tótó pra passear...





Os vendedores de artesanato. A galera sentada nos quiosque tomando uma cervejinha ou comendo um camarão frito. A mistura de gente do mundo todo. Tudo isso é muito bom!
Mas o tempo passava rápido e eu tinha hora marcada com o pôr do sol e ele não espera por ninguém.
A praça do Arpoador ou Garota de Ipanema é bem policiada e a movimentação neste horário, lógico, é grande. Praticamente se disputa lugar. Porém a vista é belíssima.












Mais um pra minha coleção de pôr do sol! \O/

Mapa do nosso trajeto até aqui:








E como terminar o dia? Numa creperia que foi reservada pela minha amiga Samanta, chamada Le Blé Noir. Fica na Rua Xavier da Silveira, 19, Copacabana. A outra filial é na Barra da Tijuca.

Peguei um ônibus do Arpoador até um ponto próximo da rua Xavier e seguir andando até o restaurante. Tudo tranquilo e rápido. É sempre bom ter um Google maps a disposição para se orientar.


O espaço é pequeno, poucas mesas, por isso reservar é importante. Se não reservar, chegue cedo. Ele funciona a partir das 19:30. Tarde né?! Mas vale a pena esperar, os crepes são feitos de trigo sarraceno, uma farinha escura com alto valor nutritivo e sem glúten. Você monta seu crepe escolhendo o recheio e o tipo de queijo. Não é um restaurante barato.




Crepe ovo brûlée e queijo reblochon R$38


O Le Blé Noir, foi eleito pela Veja Comer & Beber 2009 o melhor crepe do Rio de Janeiro. Ganhou certificado de excelência no TripAdvisor em 2014. Não comi todos os crepes do Rio e da França, mas este foi um dos melhores que já comi na vida. Obrigada Samanta!


Aqui você encontra boas resenhas do Blé Noir de Copacabana e do Barra da Tijuca .


Le Blé Noir
Rua Xavier da Silveira, 19, Copacabana.
(21) 2267-6969

Gostou do passeio? Dê sugestões. Curta, comente e compartilhe!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...