sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Praga: Cidade Nova e Bairro Judeu

E continuando a série de posts sobre Praga vamos conhecer um pouco da região Nove Mesto (Cidade Nova) e Josefov ( Bairro Judeu).
Nove Mesto sofreu o maior intervenção urbanística da Europa no século XIV.  A Cidade Nova foi planejada ao redor das muralhas da Cidade Velha e tem a Praça Venceslau e Praça Carlos, que foi a maior praça da Europa durante muito tempo, como um grande museu a céu aberto.

Praça Venceslau, ao fundo Museu Nacional


Andar pelas ruas desta região significa mergulhar na arquitetura que se modifica ao longo dos tempos. Cada casa, um detalhe. Olhamos mais para cima. Praga é pequena e ao mesmo tempo grandiosa em sua beleza.
Não lembro exatamente as ruas que percorrir, mas o post serviu para relembrar alguns pontos alto desta região que pude registrar.

Observe cada detalhe...

Rua Masarykovo

Balconie praguense

Rua Dusní
 Praça Venceslau

Onde tudo acontece, o coração da cidade Nova. Aqui você encontra bancos, lojas, casa de câmbio e toda agitação de Praga. Nesta praça encontramos o museu Nacional de Praga.

Estátua equestre de São Venceslau, padroeiro nacional.
Rua Narodni
Andei por esta rua várias vezes porque encontrei um restaurante muito bom por aqui. Além disso encontrei nesta rua o Café Louvre .

Rua Narodní


Casa Dançante
Obra de Vlado Milunic e Frank Gehry se contrapõe a tudo que vemos em Praga, seria algo de mais moderno nesta cidade. A arquitetura lembra dois dançarinos.

Casa Dançante
Ilha Most Legii
Não sei de fica na cidade Nova, mas devido a sua proximidade vale a pena ir. É um lugar delicioso para descansar, fazer picnic, brincar com as crianças. É como se estivéssemos isolados da agitação da cidade e encontrássemos um espaço só nosso. Há um elevador que liga o parque a ponte Legii.

Aves bem a vontade...

Espaço para família. Um pic nic no verão cai muito bem...

Ilha vista desde a Ponte Legií
Desta ilha a vista que temos da cidade é bem intimista.

Ponte Carlos e os barcos navegando no Moldava

Uma cidade pequena de beleza grandiosa...

A  beleza das casas na Rua Smetanovo



Museu Smetana
Bedřich Smetana foi um compositor tcheco que no final da sua vida compôs em total surdez. As margens do rio Moldava encontramos um museu dedicado a ele.  Sua grande composição foi Moldava, rio que corta Praga.
Há uma estátua do Smetana na frente do museu e um  café que no verão deve ser uma delícia para ficar observando a movimentação na Ponte Carlos.

Bedrich Smetana, compositor tcheco.
Ponte Carlos vista desde café do Museu Smetana

Filarmônica Tcheca
Bairro Judeu
O Museu Judaico nos ajudar a compreender melhor a situação vivida pelos judeus durante a Guerra e como a preservação da história judaica em Praga resgata a cultura deste povo que tanto sofreu durante o regime nazista.

Para fotografar no museu é preciso pagar uma taxa. Como não paguei, guardo na memória aquilo que me marcou. Por exemplo, uma parede na Sinagoga Pinkas, com vários nomes em hebraico das famílias que foram mortas durante a guerra. Além de uma exposição de desenhos das crianças que sobreviveram a guerra e retrataram aquele acontecimento. São desenhos que mostram como foi se afastar da família, como foi a sensação de saber que a guerra acabou e que poderiam ter uma nova família ou reencontrar seus parentes. É muito emocionante.

Além dos objetos em prata e ouro utilizados pelos judeus e que foram saqueados pelos alemães para financiar a guerra ou enriquecimento dos soldados, há também a produção literária dos grandes escritores judeus na República tcheca. É notória a importância e a riqueza cultural dos judeus.

A sinagoga que me impressionou foi a Sinagoga Espanhola. Construída em 1868 em lugar do espaço de oração praguense. Sua cúpula parece de ouro e seus vitrais foram projetados por Baum e Munzberger. No altar os castiçais e a representação dos 10 mandamentos.

Altar da sinagoga Espanhola

10 mandamentos
Sinagoga Espanhola
Outra bem marcante é a Antiga- Nova Sinagoga. Para mim, foi emocionante ver o nome de Deus em hebraico e algumas citações bíblicas nas paredes desta sinagoga. Lustres de prata no teto tornam o lugar ainda mais especial. O silêncio reina, este é um lugar de culto religioso e que deve ser respeitado.


Antiga Nova Sinagoga

Nome de Deus em hebraico: Jeová
Este sem dúvida é um bairro que requer muita atenção e um olhar mais sensível a situação vivida pelos judeus no tempo das Guerras.

O cemitério judaico é um dos mais preservados monumentos no bairro Judeu, onde encontramos mais de 12000 lápides a mais antiga data de 1439 e a mais importante é de Jehuda Liwa ben Becalel, conhecido por rabino Löw que faleceu em 1609.

Cemitério Judaico- Foto retirada internet Wikipedia
Antes de conhecer o bairro judeu sugiro que você acesse o site do Museu Judaico é muito bom pois te dará uma idéia do que realmente é importante ser visto.


Gosotu do passeio? dê sugestões, curta, comente e compartilhe!

2 comentários :

  1. Não cheguei a entrar no cemitério judeu porque, ingénua, reservei um sábado para essa visita. Mas é dia santo para os judeus, então simplesmente não abre.
    Mas é sempre uma boa desculpa para lá voltar.
    Abraço
    Ruthia d'O Berço do Mundo
    obercodomundo.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ruthia!

      ahhh...verdade,vários motivos para voltarmos a Praga, esta linda cidade cheia de história.

      Obrigada pela visita e pelo comentário!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...