quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Reserva Sapiranga, ecoturismo na Bahia

Já pensou em fazer uma trilha pertinho de Salvador? Então a Reserva Sapiranga é a melhor escolha.
Estive lá com meus pais e comprovamos que vale muito a pena conhecer este atrativo.

Onde fica a reserva? Fica aqui:



Como chegar?

Saindo de Salvador são 60km, mais ou menos 1h de carro a partir do aeroporto. Se você optar pelo transporte público, na rodoviária de Salvador tem a empresa Linha Verde que faz o trajeto ou no bairro de São Cristóvão, próximo ao Shopping Salvador Norte, você pega as vans regulares que rodam pra lá.
Para saber horários, preços e telefone da empresa Linha Verde clique aqui.
Então, seguimos pela BA099 chamada de Linha Verde. A estrada é boa e bem sinalizada e possui pedágio na altura de Vila de Abrantes. Paga se 7,50$ no sábado, domingo e feriado e nos demais dias 5 reais. Para não pagar o pedágio,  entre em Abrantes, passe por Jauá e saia novamente na linha verde. Esse desvio leva uns 10 min. Fica a seu critério fazê lo.
Agora, trafegando na rodovia fique atento a sinalização para Praia do Forte e logo verá a placa informando o local Reserva Sapiranga. Assim que avistar esta placa sinalize para direita e pegue a estrada de barro e logo em seguida passe pelo túnel a sua direita. 


Túnel sob a rodovia Ba 099, vindo de Salvador você precisa passar por ele.
Se por acaso você passar da primeira entrada, pare no ponto de ônibus e tente manobrar e retornar. Por isso fique atento a sinalização!


Entrada da Reserva

Quanto você vai pagar para conhecer a Reserva?
A taxa de visitação custa R$10,00 por pessoa, R$5,00 estudante. Professores, Idosos a partir de 65 anos e crianças até 5 anos não pagam. Moradores de Mata de São João não pagam. Moradores de Salvador pagam meia entrada.
E quanto custa o serviço do guia?
Bem, no site da Fundação Garcia D´ávila, diz : 1 à 2 pessoas R$5,00/ 3 à 10 pessoas R$10,00/ 11 à 20 pessoas R$15,00.
Porém, éramos 3 e pagamos R$25. Quem nos guiou foi o Sílvio, mas seu serviço se resumiu a nos levar de um lugar para outro. Faltou ao guia repassar informações importantes da reserva e agregar conhecimento a visitação. Pagamento só em espécie.

Mapa da Reserva Sapiranga
A Reserva Sapiranga está inserida na APA (Área de Proteção Ambiental) Litoral Norte e nos encantou o projeto Floresta Sustentável que está em Mata de São João há 2 anos atuando na conservação de 600 hectares de floresta e tem beneficiado cerca de 3.700 pessoas com cursos, palestras e oficinas de capacitação além de promover o resgate cultural e a geração de emprego e renda.
Então, vamos lá conhecer a Reserva?
Estacionamos próximo do centro de educação ambiental e nossa primeira parada foi: Viveiro de mudas.


600m² para produção de mudas

A explicação do Cássio, o viveirista que cuida das mudas, é excelente.
O objetivo deste viveiro é a preservação da Mata Atlântica que foi tão degradada ao longo dos tempos desde o século 16 devido a agricultura e pecuária na região. As sementes são retiradas da floresta e para acelerar a germinação passam pelo processo de escarificação que consiste na abrasão da semente sobre uma superfície áspera para facilitar a penetração da água. Outro processo para quebrar a dormência das sementes é o choque térmico, onde se coloca a semente primeiro na água quente e depois na água fria.

número de mudas já produzidas

Num espaço de 600 m² as mudas estão sob um sombrite que barra 50% da luz solar o que proporciona a climatização perfeita para o desenvolvimento das mudas. No chão há uma tela que impede a proliferação de ervas daninhas e insetos.
Mudas de plantas em extinção: pau Brasil, jacarandá da Bahia.

Mudas de Jacarandá da Bahia


Mudas de Pau Brasil


E ainda ganhei de presente uma muda de açaí. Ele só dará fruto daqui a 5 anos. Mas vou conversar com a plantinha pra ver se adianta o processo... Hihi


Minha muda de açaí

Próxima parada: centro de educação ambiental.




Este é um ponto de apoio ao visitante com banheiro, loja de artesanato, biblioteca e um mini museu de animais empalhados e na conserva.

cobras na conserva

bicho preguiça empalhado

O trabalho artesanal é feito com o côco pindoba que é mais claro que o côco bahia. Um grupo de mulheres do povoado de Malhadas, próximo da Praia do Forte,  usam um equipamento para lixar o côco e dar acabamento resultando em acessórios lindos. A própria artesã vende o produto.


Acessórios de côco pindoba, peças de 12$ a 25$

Você vai pode ver e tocar numa jibóia de 2 anos de idade que ainda estava de barriga cheia, havia sido alimentada com 2 ratos no dia anterior.


Você pode ver e...

tocar na jibóia.

Próxima parada: rio Pojuca. 


Alugue seu caiaque por 15$ e se divirta!

Aqui você encontra um restaurante, caiaques para alugar por 15$, o rio(logico!) para tomar banho. E futuramente vão colocar tirolesa para animar ainda mais o local. Daqui seguimos por trilha até as corredeiras do rio Pojuca. Nada excepcional. Não é permitido banho.


corredeiras do Rio Pojuca
O restaurante é simples e os pratos saborosos. Principalmente esta muqueca de vermelho que vem pra mesa borbulhando na panela de barro e ainda é bem servida para até 4 pessoas.

Deliciosa muqueca de peixe borbulhando, acompanhada de farofa, pirão, arroz, salada vinagrete, por 60$

O serviço é bem no jeito baiano de ser, alegre, descontraído, bem humorado. O Zé, garçom que nos atendeu, é nativo e falou da geografia da região. Inclusive foi ele quem nos explicou que a Reserva Sapiranga leva esse nome, devido ao rio Sapiranga, que na língua tupi-guarani quer dizer "olho vermelho", por causa da coloração avermelhada das águas devido a alta concentração de ferro.


Cárdapio do único restaurante na Reserva

O Jorge, dono do restaurante, chegou depois e nos atendeu super bem. Contou um pouco da sua trajetória de trabalho ao longo dos anos e o funcionamento do restaurante que geralmente fecha as 17h. O espaço é delicioso, bom para um churrasco, bater papo de frente pro rio e descansar. Depois de uma muqueca só quero uma rede.


Restaurante Sabor da Natureza, só falta a rede pra depois daquela muqueca!

Dispensamos o guia e almoçamos. Retornamos pelo mesmo caminho da trilha que é fácil. É um trajeto de subidas leves e curto totalizando 1.200 mt. Indicado para qualquer idade.

Voltamos pra casa satisfeitos de ter conhecido um projeto tão bacana que estimula a preservação ambiental, a economia solidária e a manutenção da qualidade de vida. Vá conferir também!

Confira aqui outro passeio próximo da Praia do Forte.

E você, gostou do passeio? Comente, curta e compartilhe!

Rodoviária de Salvador:(71) 3616-8300
Empresa Linha Verde: 0800 2849477/  (071)3460-2050
Reserva Sapiranga: 71 3676.1133/ 9600.7503
Restaurante do Jorge: 71 9955.7872
Confira o trânsito na Linha Verde no site da CLN ( Concessionária Litoral Norte): 0800 071 3233

Confira outras opções de lazer em Praia do Forte e arredores:
- Observação de baleias
- Praia do Diogo

4 comentários :

  1. Fui à reserva ano passado e a tirolesa ja estava em atividade, me desafiei e superei o medo, show de bola. O restaurante é simples mas agradabilíssimo, o caldinho q servem ali é delicioso. Bela vista, belo passeio e ainda bem perto da praia do Forte, com tempo dá pra esticar até a vila.
    CrisG.

    ResponderExcluir
  2. Que legal! Acho um lugar muito agradável pra curtir com família e amigos. Olha, eu não fui na tirolesa, mas deve ser emocionante. Minha irmã foi na semana retrasada e conheceu a Reserva, a vila e praia do Forte, só o castelo que tava fechado para eventos.

    Obrigada por comentar!

    ResponderExcluir
  3. Quel legal, adorei usas dicas! Pensando em ir conhecer em dezembro, vou me hospedar em praia do forte, sabe informar como tenho acesso a reserva saindo de lá?

    ResponderExcluir
  4. Olá Dayse!

    A REserva é bem pertinho da Praia do Forte, fica quase em frente. sugiro que você combine na hospedagem transporte ida e volta pra que desfrute com tranquilidade do local.

    Que você tenha uma boa viagem, abraços!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...