segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Visita ao universo de Miró na Caixa Cultural Salvador

Fui conferir sábado passado, a exposição de Alfredo Melgar sobre as obras de Joan Miró na Caixa Cultural em Salvador . É uma programação super interessante que nos transporta para o universo íntimo de Miró, visto que as pinturas e quadros expostos são alguns rascunhos e trabalho inacabados que mostram o processo criativo deste artista. O texto a seguir não é uma resenha desta amostra, mas a descrição do efeito destas obras no observador (eu). Uma percepção que varia de uma pessoa para outra...

Pinturas usando litografia.

A exposição fica no 1º andar e começamos pelos quadros em fundo preto e traços brancos. Parecem esboço de um projeto de arame. E depois tive a confirmação ao observar o Miró de Calder. Aqueles desenhos me fizeram imaginar a possibilidade de fazer um esboço sem tirar o lápis ou caneta do papel.

Alexander Calder, pintor e escultor americano,
reproduziu em arame as figuras de Miró.
Na mesma sala vejo estes belos quadros coloridos. Comentei com uma amiga que me acompanhava: "Até uma criança faz isso." Comentário infeliz esse meu. Os quadros pareciam uma cópia um do outro e envolve um trabalho de gravura chamado litografia. A matriz em pedra permite a reprodução de vários outros e Joan Miró usou a tinta guache para colorir.

São cópias? Traços desordenados?
Na sala ao lado, percebemos os elementos que permeiam as pinturas de Miró: a mulher, pássaros e estrelas. Vi o nome da obra na placa: Mulher. Mas, o que eu via no quadro era um pássaro. Onde está essa mulher que Miró pintou?

Onde podemos manifestar nossa arte? Bem, Miró usou materias diversos e inusitadaos: papel kraft, cartão, papel de embalagem (aquele papel de pão), papelão e outros. 

Pintura sobre papel chinês.

Pintura sobre cortiça.

Pintura sobre papelão.
Não só de colorido vivia as obras de Miró. Há quatro obras mais escuras que revelam outro lado do pintor.


Entre rabiscos e traços loucos, me perguntei: a criatividade precisa seguir um padrão? Joan Miró foi um artista representante do surrealismo que se contrapõe à lógica e à razão. Este movimento artístico mostra a criatividade de maneira espontânea sem seguir um determinado padrão. O que parece devaneio ou desorganização é a manifestação do inconsciente e do irreal. Alguns desenhos que vemos nesta exposição estão inacabados, mas nos remete à outras pinturas mundialmente conhecidas de Miró, como: A Noite, Etoile Bleu, Mulher III, O Carnaval de Arlequim, Pintura, Personagens e etc.


E o que mais me chamou atenção ( e achei genial) foi ver os pais levarem seus filhos para apreciar estas obras. Enquanto alguns tentavam de alguma forma explicar aos filhos o que representava determinada obra as crianças estavam lá fazendo mais e mais perguntas. No entanto, monitores estão de prontidão para ajudar na compreensão dos trabalhos expostos.




O quê: Exposição a Magia de Miró
Onde: Caixa Cultural Salvador
Quanto: acesso gratuito.
Quando:de terça-feira a domingo, das 9h às 18h, até 08 de fevereiro de 2015.
Endereço: Rua Carlos Gomes, 57 Telefone: (71) 3421-4200

Para estacionar aos finais de semana, há vagas na Avenida Sete de Setembro, daí você paga aos guardadores/flanelinhas. Ou no local, porém há poucas vagas. E na própria Rua Carlos Gomes.

E você, qual a sua impressão desta exposição? Deixe seu comentário na caixa abaixo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...